Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

EDP comercial

Já tinha publicado um artigo em que referia a falta de seriedade da EDP comercial, o que me levou a um comparativo entre fornecedores de energia.
Na altura, realizei um contrato com descontos na eletricidade e no gás que não foram aplicados na prática! Também não me enviaram um contrato escrito! Também a leitura do contador de electricidade (realizada por empresas subcontratadas) foi errada (pelo que imagino que devam ter usado uma estimativa por alto e indicado tal como leitura real!), situação que se revelou especialmente problemática na troca entre comercializadores.

Agora surge-me um contacto telefónico da EDP comercial do 937310034 a propôr o serviço "factura segura" (que depois me vim a aperceber que era na prática um seguro).
Via telefónica disseram que ficariamos com 400€ para pagar facturas caso entremos de baixa médica ou entremos em situação de desemprego involuntário apenas pelo preço de 0,05€/dia. Haveria 60 dias de periodo de carência mais 30 dias de espera.
Ou seja, se ficasse de baixa ou desempregado, passados 90 dias de contrato teria 400€ para as contas da energia.
Questionei se uma pessoa já desempregada poderia aderir e ter os 400€ passados 3 meses e disseram-me que sim, que bastaria enviar depois o certificado do centro de emprego da situação de desemprego!

Bom demais para ser verdade? Claro!
Encontrei logo um pdf com o contracto no site da EDP e claramente diz que quem contrata tem de desenvolver "uma atividade profissional remunerada" há já pelo menos 12 meses.

Pode-se ainda ler no ponto 7. EXCLUSÕES GERAIS, onde ficam excluídas as situações onde o sinistro tenha ocorrido antes ou durante o periodo de carência do contrato ou se já saiba que vá ocorrer.
As 3. EXCLUSÕES ESPECÍFICAS excluiem ainda gravidez, contractos com termo, rescisão no período experimental (mesmo a contractos sem termo), despedimento com justa causa, etc
Facilmente encontramos queixas de muita gente para com este serviço e também relativas ao serviço "funciona".
As mentiras telefónicas deverão ser muitas.

Mais uma vez a EDP comercial comprovou não ser uma entidade de bem, pois se fosse, por exemplo, teria de exigir o contrato de trabalho do cliente para iniciar este tipos de contractos; bem como enviar o contracto (com todas as letrinhas miudinhas) para o cliente ler antes de assinar ou indicar que sim por telefone; algo que claramente não faz.